Sarah, Sarah, Sarah, foste escrava de José de Arimatéia. No mar foste abandonada. Teus milagres no mar se sucecedarm e como, santa te tornaste.


A beira do mar chegaste e os "ciganos" te acolheram. Sarah, rainha mãe dos ciganos, a quem ajudastes e a ti eles consagraram como sua protetora mãe vinda das águas, Sarah,
mãe dos aflitos a ti imploro proteção para meu corpo, luz para meus olhos enxergarem até no escuro, luz para para o meu espírito e amor para todos os meus irmãos.

Enfim, a todos os que me cercam .

 
Aos pés da Maria Santíssima, tu, Sarah, me colocarás e a todos que me cercam, para que possamos vencer as agruras que a terra nos oferece.

 
Sarah, Sarah, Sarah, não sentirei dores nem tremores, espíritos perdidos não me encontrarão e assim como conseguistes o milagre do mar, a todos os que me desejaram o mal, tu, com águas me fará vencer.

 
Sarah, Sarah, Sarah, não sentirei  dores nem tremores e continuarei caminhando sem parar. Assim como as caravanas passam, no meu interior tudo passará e aunião ficará, e sentirei o perfume das caravanas que passam, deixando o rastro de alegria e felicidade. Teus ensinamentos deixarás.

 
Amai-nos, Sarah, para que eu possa ajudar a todos que me procurem, ajudados pelos poderes de nossos irmãos ciganos. Serei alegre e compreensivo com todos que me cercam


Corre no céu, corre na terra, corre no mundo e Sarah, Sarah, Sarah, estará sempre na minha frente. Assim como os ciganos pedem "Sarah" fique sempre na minha frente,
sempre atrás, do lado esquerdo, do lado direito.


E assim dizemos: somos protegidos pelos ciganos e pela Sarah, que me ensinará a caminhar e perdoar.