Yemanjá, gosta das noites de céu estrelado, lua cheia e grande, prateando as águas, para assim aparecer calmamente e pentear seus longos cabelos, exibir seu corpo e atrair, pelo canto, os pescadores que já conhecem a sua fama de mulher fatal.

A panela, o presente, é repleta de bilhetes, perfumes, fitas, talcos, sabonetes, bebidas, alimentos que vieram dos pejis,bijuterias e algumas jóias de ouro. Tudo isso vem dentro da panela de barro, ampla, gorda, como uma grande barriga, pronta para dar á luz e continuar vivificando o homem e seus descendentes.

Além dessas oferendas a panela também recebe flores brancas e algumas pintadas de azul, pois essas são as cores que identificam Iemanjá. Ainda tecidos como cetim e brocado enfeitam a panela, que assume um tom de escultura comunal ,onde todos participaram.

A panela é colocada nas águas conduzidas por um ou mais homens iniciados, especialmente escolhidos para tão grande honraria. Eles vão a nado ou de barco e somente bem distante da praia o presente deve ser entregue. Ao tocar as águas a Panela já pertence a Iemanjá e os adeptos que formam o cortejo esperam na praia. Sabem que Yemanjá está contente, pronta a atender todos os recados escritos, falados ou simplesmente pensados.