A menina Helena ouvira falar da Mãe D´água, dos seus cabelos longos e verdes, de seus olhos belos como o infinito, da sua voz harmoniosa que cantava e atraia os guerreiros para o seu palácio encantado. Helena nadava pela praia querendo ver a sereia. A lua cheia brilhava no céu e iluminava a terra. A menina cansada e desanimada porque a Mãe D´água não aparecia, resolveu gritar: Uiara ! Uiara! Eu estou aqui! Mãe D´água, eu quero ver o teu palácio!

Após o chamado insistente - Helena não resiste ao cansaço e adormece. Adormece e sonha... Finalmente, diante dela surge a Uiara que se aproxima cantando: - Eu tenho um palácio no fundo de rio. E estendendo os braços para a menina leva-a consigo. Helena cai em êxtase. Que delícia tocar os cabelos verdes e longos da Uiara ! Como é lindo o palácio da Mãe D´água ! É todo feito de reflexo de luar e tem cortinas que parecem teias de prata. Suas paredes brilham como o diamante !

Uiara tem a luminosidade da luz e canta: Fica comigo menina Helena...

Porém, quando estava no auge de sua felicidade, Helena é despertada pelo impacto gelado de uma onda inoportuna.

A Lenda que participou do sonho da menina,  revela,  de forma alegórica, a secreta intuição que todos fazemos quanto a existência de um outro plano e a estranha analogia entre o sono e a morte.